Páginas

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Saúde & Fitness: Yoga para grávidas

Olá, meninas!

Depois de ter visto essa semana que muitas amigas e conhecidas estão gravidas, resolvi escrever sobre atividades físicas na gravidez.
São diversas as atividades que podem ser feitas durante a gestação, como hidroginástica, dança, pilates, natação... Mas, hoje, falarei sobre a Yoga (que eu, particularmente, adoro rs).
Lembrando de, sempre, consultar um educador físico!
Vamos lá...

A Yoga, aliada a algum tipo de exercício cardiovascular, como caminhadas, é uma ótima maneira de manter a forma durante a gestação. Essa prática milenar ajuda a deixar a mulher mais flexível, tonificar os músculos e a melhorar seu equilíbrio e circulação com pouco ou quase nenhum impacto nas articulações do corpo.
É também benéfica porque trabalha com técnicas de respiração e relaxamento, que podem ser extremamente úteis para a hora do parto e,  depois, para lidar com as exigências da maternidade.
Uma das primeiras coisas que se aprendem na Yoga é a respirar plenamente (algo conhecido como ujayi), inspirando o ar bem devagar através do nariz, enchendo os pulmões e,  depois, expirando pela boca completamente, até o abdome se comprimir.
Este "condicionamento" respiratório possibilita que você se mantenha mais calma nas situações difíceis. Sabe-se que, em circunstâncias de medo, estresse ou preocupação, o corpo produz adrenalina e corta a produção de oxitocina, um hormônio que atua, por exemplo, na evolução do trabalho de parto.
O treinamento da ioga ajuda as mulheres a lutar contra a vontade de se contrair durante a dor, para que, em vez de se retesarem, consigam respirar melhor.

Cuidados especiais
Como com qualquer outro exercício, a Yoga requer cuidados extras na gestação. Evite posições que exijam que você deite de barriga para cima, o que diminui o fluxo sanguíneo para o útero. Não faça também movimentos que estiquem demais os músculos abdominais. Você agora está mais suscetível a distensões musculares por causa do hormônio relaxina, que permite ao útero dilatar e também age em outros tecidos conjuntivos.
Caso sinta dores nas costas, no quadril ou na região pélvica, peça ajuda ao professor para alterar a posição ou não faça o exercício. Isso é fundamental, pois, normalmente, a mulher grávida sabe o que não lhe faz bem.
Aliás, é importantíssimo que você frequente aulas com instrutores que tenham experiência e conhecimento para trabalhar com mulheres grávidas. O ideal é uma aula totalmente voltada para gestantes, mas, se isso não for possível, mencione para o professor que está grávida e faça muitas perguntas para ter certeza de que ele saberá como orientá-la bem. ;)

Yoga no primeiro trimestre
Neste estágio inicial da gestação, você provavelmente ainda não tem muitas restrições. Mas, mesmo assim, lembre-se de seguir aqueles tradicionais padrões de segurança para se exercitar, como beber bastante água antes, durante e depois das aulas de Yoga, para manter seu corpo hidratado. Respire profundamente e com regularidade ao se alongar.
Caso já pratique Yoga, aceite que, nesta etapa da sua vida, vai ter que se restringir e adaptar um pouco. Não tente, justo agora, aumentar demais sua flexibilidade. Tenha cuidado também com técnicas que exijam muito de suas articulações à medida que os músculos se alongam.

Yoga nos segundo trimestre
À partir desta fase, você vai ter que ser ainda mais cautelosa, devido a um afrouxamento natural das articulações do corpo durante a gravidez. Outro problema é que a barriga em crescimento já está afetando o seu equilíbrio.
Lembre-se de fazer cada posição com bastante calma, para evitar que se machuque. Não teste os limites do seu corpo e não exagere. Se não conseguir respirar normalmente, é porque foi longe demais, e é melhor parar. Não mude de posição rápido demais, para não sentir tontura.

Yoga no terceiro trimestre
Com o aumento de peso e do abdome, você provavelmente precisará executar as posturas de pé com os calcanhares apoiados a uma parede ou cadeira. Dessa forma, não há risco de perder o equilíbrio e arriscar se machucar ou prejudicar o bebê.

Bom, meninas, essa foi mais uma dica nossa... Para aquelas que pretendem ser mamães, é um boa, hein!
Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário