Páginas

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Questão de tempo para gritar "É campeão!"

Como define bem o título, é apenas uma questão de tempo para o torcedor cruzeirense soltar o grito de 'É campeão!'. Coisa que, aliás, eles fizeram ontem, mesmo sem terem se consagrado AINDA o time campeão do Brasileirão. Mas, pudera, com 71 pontos, 13 a mais do que o Atlético-Paranaense (2º colocado) e faltando 4 rodadas para o fim, a taça já é certa. Num dia ensolarado, com azul espalhado por tudo quanto é lado, Cruzeiro x Grêmio jogaram no Mineirão pela 33ª rodada. 

Dagoberto e Borges foram os jogadores protagonistas do primeiro tempo. Na esquerda, "Michel Teló", como foi carinhosamente apelidado, ditou o ritmo do  ataque do Cruzeiro, que tinha Borges à espera de uma bola. Dagoberto lançou para Borges executar um movimento sem nome. Uma meia bicicleta, um voleio de canela, vai saber! Foi tão diferente que o atacante acabou batendo  a cabeça no chão ao mesmo tempo em que Dida observou a bola entrar e bater no fundo da rede. Mais um passo  para o tri. 
Mas a essa altura, o Atlético-PR já vencia o São Paulo por 2 a 0, o que adiava o título da Raposa para a próxima rodada. O Grêmio se defendeu como pôde e deu a impressão que não queria atacar, com um meio campo sem criatividade, dependeu de contra-ataques mal armados. Um deles deu resultado quando a bola chegou aos pés de Pará, mas Fábio defendeu sem problemas. Kleber, marcado de perto, levou (sem surpresas) o cartão amarelo "de cada jogo", resumindo assim o primeiro tempo.

Na volta do segundo tempo, os dois técnicos tinham missões bem claras: Renato Gaúcho precisava fazer com que o Grêmio saísse para o ataque e Marcelo de Oliveira tinha que fazer seus jogadores lutarem pela vitória, mesmo sabendo que não levaria o Cruzeiro a ser campeão nessa rodada. As duas medidas foram tomadas. Só que no gol Cruzeirense havia um Fábio no caminho, o que impedia que o Grêmio conseguisse terminar seu ataque com sucesso. Todos os chutes tiveram um destino: defesa de Fábio. No Cruzeiro, o técnico lançou Willian e Luan nos lugares de Dagoberto e Everton Ribeiro, renovando a Raposa no ataque. E funcionou. Willian Entrou e fez o gol, na sobra, de pé esquerdo. A vitória do Atlético-PR já era certa em Curitiba, mas, mesmo assim, se ecoava por todo Mineirão gritos de "Tricampeão, tricampeão!”.
Ricardo Goulart fechou a vitória, fazendo o 3° e definitivo gol. Não foi dessa vez, o Cruzeiro ainda não vai carregar a taça. Pelo menos não a original, pois uma cópia foi levantada e carregada pelos jogadores, que comemoram muito a vitória. Afinal, na próxima rodada a Raposa joga fora de casa, e não poderá comemorar com a sua linda e arrebatadora torcida.

Os outros resultados da rodada foram: Flamengo 1x1 Goiás, Náutico 0x1 Criciúma, Vasco 2x2 Santos, Corinthians 1x0 Fluminense, Ponte Preta 0x3 Vitória, Atlético Paranaense 2x0 São Paulo, Internacional 2x1 Botafogo, Portuguesa 0x0 Coritiba, Bahia 0x0 Atlético Mineiro.

E você, leitor, que acompanha o blog e quer participar de nossas colunas, mande-nos um e-mail para grazineves7@gmail.com.
Estamos aguardando seu contato! Um beijo e até a próxima :* 

Nenhum comentário:

Postar um comentário