Páginas

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

São Paulo dá seu suspiro de alívio

21ª rodada do Brasileirão, 2° turno entrando com tudo... A parte de cima da tabela não teve mudanças muito drásticas: Cruzeiro e Botafogo estão ali, disputando ponto a ponto a cobiçada liderança. A Raposa com uma ligeira vantagem, de 4 pontos do 2° colocado, o Glorioso. Correndo por fora, temos o Grêmio, com um pouco mais de distância (9 pontos de diferença) e o Atlético -PR, com 11. Na zona de rebaixamento atualizada, estão: Vasco, Portuguesa , Ponte Preta e Náutico.
A entrada do Gigante da Colina ficou por conta de sua derrota para o, agora aliviado, São Paulo. No jogo deste domingo, o tricolor venceu por 2 a 0 e trocou de posição com o Vasco no grupo dos quatro piores do Brasileirão.

Nem Jadson, Ganso ou Luis Fabiano... O triunfo começou com um garoto de 20 anos, que não tem a fama das estrelas, mas vem mostrando muita eficiência: Rodrigo Caio, curinga capaz de se adaptar a todas as posições da defesa.
O São Paulo foi escalado por Muricy com um time mais ofensivo. Com Jadson ocupando o lugar do volante Denílson, o tricolor paulista ganhou um poder de criação maior e quase marcou no primeiro minuto. Maicon recebeu passe na entrada da área e chutou rasteiro, rente à trave esquerda de Diogo Silva.O Vasco teve dificuldades para encontrar espaços. Juninho Pernambucano organizou o time que já vinha de dois jogos sem gol . Só Marlone assustou e quase fez um golaço, ao driblar Rafael Toloi com um toque de cabeça, mas chutou fraco, nas mãos de Rogério Ceni. O ataque são-paulino também não viveu uma tarde inspirada. Jadson e Ganso pouco acionaram Osvaldo e Luis Fabiano. A saída veio pela cabeça do zagueiro, lateral ou volante, Rodrigo Caio, que parecia um centroavante ao subir livre no meio da área, aos 30 minutos e desviar. O Vasco se enfraqueceu com a desvantagem e, com pouca organização, pressionou nos minutos finais. A defesa sãopaulina ajudou. Os cariocas abusaram dos cruzamentos para a área, nenhum deles aproveitado por André. Marlone, após um belo chapéu em Reinaldo na área, reclamou de um toque de mão de Rodrigo Caio, que não existiu. Muito pouco para reagir.
 No segundo tempo, Dorival Júnior apostou em aumentar o poder ofensivo do Vasco, com as entradas de Dakson e Reginaldo nas vagas de Abuda e Willie. Eles tiveram boas chances nos primeiros minutos. De cara, o meiocampista cabeceou, a bola tocou no chão e passou rente ao travessão. Em seguida, o centroavante recebeu na área e bateu para Ceni tirar a bola com os pés.A entrada de Welliton no lugar de Osvaldo não melhorou o contra-ataque do São Paulo. O time sofreu para encaixar o lance que poderia decidir a partida permitindo, assim, que o Vasco continuasse em cima. No momento em que os cariocas cresciam, um erro terrível do goleiro vascaíno acabou com qualquer possibilidade de reação. Após cobrança de escanteio para a área, Diogo Silva tentou afastar a bola com um soco, mas acabou a colocando nos pés de Antônio Carlos. 2 a 0 São Paulo. O Vasco sentiu o placar, ainda mais desfavorável. A torcida passou a vaiar a cada toque na bola de Diogo Silva e a gritar frases do tipo “time sem vergonha “. O São Paulo segurou a vitória. Aloísio, em bela jogada individual, só não fez o terceiro por causa de bela defesa do goleiro vascaíno. Insuficiente para acalmar a torcida e impedir que a crise volte a São Januário. Com este resultado, o tricolor paulista saiu da zona de rebaixamento e, consequentemente, colocou o Vasco em seu lugar. 

Os outros resultados da rodada foram: Cruzeiro 1x0 Atlético -PR, Fluminense 2x1 Portuguesa, Corinthians 1x2 Goiás, Ponte Preta 1x1 Flamengo, Criciúma 0x1 Internacional,Coritiba 2x2 Bahia, Vitória 2x1 Náutico, Grêmio 0x1 Atlético - Mg e Santos 1x2 Botafogo. O meio da tabela ainda continua embolado e uma vitória pode mudar tudo. 

E você, que acompanha o blog, gostou do post? Não esquece de curtir e comentar. E, se quiser dar uma sugestão, mande-nos um e-mail para grazineves7@gmail.com! Não deixem de participar. Um beijo e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário